quarta-feira, 22 de setembro de 2010

ARTE DE ENSINAR, FAZENDO DO APRENDER UMA ARTE

"Ensinar é como um ato de alegria, um ofício que deve ser exercido com paixão e arte". (Rubem Alves)

Em outubro de 2007 fiz a seguinte postagem:

http://peadportfolio156706.blogspot.com/2007/10/arte-de-ensinar-fazendo-do-aprender-uma.html

Daquele dia para hoje, muita coisa mudou! Dentro do sistema educacional também! Surgiram novos desafios para os educadores e a prática de ensino está cada vez mais, digamos, "complicada". A criança não trás mais, em sua bagagem, a vontade de aprender, trás junto com ela todo o reflexo de uma sociedade violenta e consumista. Mas o encanto pela profissão, o amor que um professor dedica à sua profissão e ao alvo da mesma continua cada vez mais aceso, apesar de ainda existirem dois tipos de professores: O professor pobre e o professor rico. O pobre é aquele que se imagina o dono absoluto da verdade, que mendiga atenção e se frustra por não conseguir. O rico é aquele ser humilde, que conquista a atenção do aluno, que aproveita cada desafio como objeto de aprendizado, que não se deixa abater com nenhum problema, que utiliza estes problemas como alavanca para continuar a praticar sua arte de aprender para mais ensinar.
Ensinar é uma arte, mas para saber dominá-la é preciso aprender.
Neste ano de 20l0, estou trabalhando, pela primeira vez, com uma turma de 5° ano. No começo, foi um pouco "corrido", pois eu não tinha nenhum material para trabalhar com esta faixa etária. Contei com a colaboração de minhas colegas de escola e com minha boa vontade. À medida que os dias foram passando, os próprios alunos me forneceram suas necessidades e curiosidades, e isto bastou para que os conteúdos obrigatórios fossem estudados, dentro de atividades agradáveis e aulas estimulantes.
Os Projetos de Aprendizagem, realizados pelos alunos, corroboraram o quanto uma criança é capaz de aprender quando o objeto de estudo é de seu interesse. Mas então ela só vai aprender aquilo que gosta? Não! Ela vai aprender aquilo que deve aprender, o conteúdo proposto para sua faixa etária e cabe ao professor, com muita criatividade, "sugerir" este conteúdo. Mostrar ao aluno o encanto de saber sobre algo ou alguém.
"Uma boa aula necessita de 1/4 de preparação e 3/4 de teatro". (Gail Godwin)
Toda aula deve ser previamente preparada, quanto a isto nem se discute, mas a aula em si pode e deve ser uma encenação, um teatro, que encante o aluno, que o faça "viver" aquelas cenas.
Cantar, dançar, representar um personagem, ler uma história como se estivesse compondo um poema, olhar para o aluno como se ele fosse o único ser vivo do ambiente, falar com a criança como se estivesse entoando uma canção! Tudo isso são ferramentas que estimulam a criança a voltar no dia seguinte.
Na semana passada, durante minhas pesquisas para o meu trabalho de Conclusão de Curso, entrei numa turma de 8ª série, considerada uma das mais indisciplinadas da escola e com alto índice de "palavrões, apelidos e atos de violência". À princípio, fiquei um pouco receosa, mas logo disse o porquê de estar ali, pedi a colaboração e agradeci antecipadamente. Foi maravilhoso! TODOS os alunos dedicaram a sua atenção à minha conversa e aos slides que preparei. Concordaram que necessitavam mudar suas atitudes e prometeram que mudariam, pois conforme eu lhes disse, todo dia é dia para "começar" ou recomeçar.
Não é difícil conversar com um adolescente, basta "entrar" no clima deles e isto não significa começar a dizer palavrões, significa entender o que são esses palavrões e conscientizá-los de que sabem e podem substitui-los por palavras mais amenas e dóceis.

Um comentário:

Simone disse...

Oi Suzan! Interessante postagem, une duas "pontas" do curso, o que pensavas naquele semestre e a temática que estás desenvolvendo no TCC. Abração!!