quarta-feira, 22 de abril de 2009

TEORIAS PIAGETIANAS







Jean Piaget foi um dos investigadores mais influentes do século 20 na área da psicologia do desenvolvimento. Ele acreditava que o que distingue o ser humano dos outros animais é a sua capacidade de ter um pensamento simbólico e abstrato.


Piaget acreditava que a maturação biológica estabelece as pré-condições para o desenvolvimento cognitivo. As mudanças mais significativas são mudanças qualitativas (em gênero) e não qualitativas (em qualidade).


Piaget descreveu dois processos utilizados pelo sujeito na sua tentativa de adaptação: assimilação e acomodação.


A assimilação consiste na tentativa do indivíduo em solucionar uma determinada situação a partir da estrutura cognitiva que ele possui naquele momento específico da sua existência. Representa um processo contínuo na medida em que o indivíduo está em constante atividade de interpretação da realidade que o rodeia e, consequentemente, tendo que se adaptar a ela. Como o processo de assimilação representa sempre uma tentativa de integração de aspectos experenciais aos esquemas previamente estruturados, ao entrar em contato com o objeto do conhecimento, o indivíduo busca retirar dele as informações que lhe interessam deixando outras que não lhe são tão importantes, visando sempre a restabelecer a equilibração do organismo.


A acomodação, por sua vez, consiste na capacidade de modificação da estrutura mental antiga para dar conta de dominar um novo objeto do conhecimento. Quer dizer, a acomodação representa o momento da ação do objeto sobre o sujeito emergindo, portanto, como o elemento complementar das interações sujeito-objeto. Em síntese, toda experiência é assimilada a uma estrutura de idéias já existentes (esquemas) podendo provocar uma transformação messes esquemas, ou seja, gerando um processo de acomodação.

Existem muitas críticas sobre a teoria de Piaget: há dúvidas sobre a metodologia em suas pesquisas. Há quam diga que le subestimou a importância do conhecimento, subestimou as capacidades das crianças, subestimou o impacto da cultura.

Acho importante, como professora, a teoria de Jean Piaget sobre o desenvolvimento da aprendizagem: ela capta as grandes tendências do pensamento da criança e encara as crianças como sujeitos ativos da sua aprendizagem.

É importantíssimo usar a teoria Piagetiana como apoio no processo de ensino/aprendizagem, devemos apenas adaptá-la ao nosso público-alvo, considerando o meio ambiente em que está inserido o aluno.

Mas, apesar de ainda achar válidas, me pego a divagar sobre Piaget a formular suas teorias em pleno terceiro milênio. Quais outras características ele incorporaria a cada estágio do desenvolvimento? O que ele diria sobre uma criança qua abandona a escola para ingressar no mundo das drogas e do vandalismo, um semi-analfabeto que é mestre em traquinages e imoralidades? O que ele diria sobre uma criança que ainda não domina o mundo das letras e dos números, ms manipula corretamente um celular ou um computador?



Um comentário:

Simone disse...

Oi Suzan, ótimas questões! Além de retomares conceitos importantes para a teoria, te colocas de forma crítica e trazendo questionamentos para além dela. Só dá uma olhadinha nessa frase, acho que tem algum erro de digitação: "As mudanças mais significativas são mudanças qualitativas (em gênero) e não qualitativas (em qualidade)". Abração, Sibicca