quinta-feira, 7 de maio de 2009

MÉTODOS CLÍNICOS PIAGETIANOS


"O principal objetivo da educação é criar
homens capazes de fazer coisas novas
e não simplesmente repetir
o que outras gerações fizeram,
homens criativos, inventivos, descobridores".
(Jean Piaget)

Quando olhamos para a palavra "clínico", pensamos na área médica, porém o ser humano é uma totalidade indissolúvel, que além do corpo físico, possui uma mente, inteligência, sentimentos, é capaz de agir, ... e, precisamos pensar que a parte clínica pode estar ligada a cada elemento, porém na totalidade.
A Espistemologia Genética defende que o indivíduo passa por várias etapas de desenvolvimento ao longo de sua vida. Para Piaget, a aprendizagem é um processo que começa no nascimento e acaba na morte (na minha opinião, vai além, é depois da morte é que se aprende mesmo). A aprendizagem dá-se através do equilíbrio entre a assimilação e a acomodação, resultando em adaptação. Segundo esta formulação, o ser humano assimila os dados que obtém do exterior, mas uma vez que já tem uma estrutura mental que não está "vazia", precisa adaptar esses dados à estrutura mental já existente. Uma vez que os dados são adaptados a si, dá-se a acomodação. Este esquema revela que nenhum conhecimento nos chega do exterior sem que sofra alguma alteração pela nossa parte, ou seja, tudo o que aprendemos é influenciado por aquilo que já tínhamos aprendido.
O método dos testes "consiste em submeter a criança a provas organizadas de modo a satisfazer as duas condições seguintes: por uma parte, a questão permanece idêntica para todos os sujeitos e é apresentada sempre da mesma forma; por outra parte, as respostas dadas pelos sujeitos são referidas a uma tabela ou a uma escala que permite compará-la qualitativa ou quantitativamente" (Piaget).
O método clínico de Piaget é, portanto, um método de conversação livre com a criança sobre um tema dirigido pelo interrogador que acompanha as respostas da criança, pede-lhe que justifique o que diz, que explique, que diga o porquê, que lhe faça contra-sugestões, etc...
"Ao seguir a criança em cada resposta, ao fazê-la depois, sempre guiada por ela, falar cada vez mais livremente, acaba-se por obter, em cada domínio da inteligência, um procedimento clínico de exame análogo ao que os psiquiatras adotam como meio de diagnóstico. Para terminar, vê-se o aparecimento do chamado "método direto", proveniente também como os demais, do método clínico, mas aplicando-se, desta vez, um material concreto e não mais verbal, e de tal forma que se criam "diante da criança" algumas pequenas experiências de fisica, onde deve ser perguntado o porquê de cada evento. Obtém-se, assim, mais informações de primeiro mão sobre a orientação do espírito das crianças" (Piaget). Conserva-se, ainda, a linguagem, mas esta já não constitui o único suporte da experiência, ela passa agora a intervir apenas para justificar as ações concretas realmente efetuadas.

Aplicabilidade do Método na Escola:
O método serve de fundamentação científica para os projetos de aprendizagem, pois sugere que se inicie com questões de interesse da criança, enquanto sujeito do processo de criação do conhecimento.
Passos que um professor poderá realizar para produzir uma intervenção na escola, tendo por base o método clínico:
@ Partir sempre das questões colocadas pelos alunos.
@ Acompanhar a linha de raciocínio, formulando novas hipóteses à partir do que é colocado.
@ Problematizar as questões colocadas para provocar uma contra-argumentação e verificar se as aquisições se estabelecem ou não.
@ Avançar sempre um pouco mais nas considerações sem fugir do foco de interesse inicial do aluno.

Fontes:
Wikipédia
www.pedagogiaemfoco.pro.br

Um comentário:

Simone disse...

Oi Suzan essa tua postagem está bem interessante para pensarmos sobre o método clínico e, principalmente sobre a sua utilização na escola. Em determinado momento da tua postagem falas do método dos testes e, logo após, falas do método clínico como se ele fosse similar ao método dos testes. Piaget partiu desse método, mas para criticá-lo, propondo então o método clínico. Portanto, eles não podem ser equiparados. Seria interessante que pudesses refletir se concordas ou não com essa proposta teórica, apontando, na tua opinião, quais são as suas vantagens e desvantagens. Abração, Sibicca