domingo, 13 de junho de 2010

TEMAS TRANSVERSAIS

Ainda há profissionais da educação que continuam tratando os temas escolares tradicionais, considerados como helênicos, como se fossem a única temática possível, desinteressando-se, assim, da problemática cotidiana atual.
Ao propor um trabalho com as diferentes formas de linguagem verbal (oral e escrita), pretendo desenvolver nos meus alunos a capacidade de agir de modo construtivo em diferentes situações.
Por essa razão, os temas propostos (considerados transversais) são encaminhados para que atendam aos interesses atuais do alunado.
Nestas últimas semanas, justamente durante o estágio para o Pead, inseri outros temas diferenciados para trabalhar os conteúdos propostos pelo Rede Municipal de Ensino. Cumpri os conteúdos organizados nos Planos de Estudos de nosso município e, ao mesmo tempo, tornei as atividades interessantes para os alunos e para mim mesma.
Trabalhar com estes temas torna-se necessário para se viver na sociedade atual e vinculá-los aos conteúdos curriculares tem como objetivo dar um sentido prático no exercício da docência, aproximando os conteúdos obrigatórios do cotidiano da criança.
De acordo com esta linha de pensamento, retomo o princípio básico do construtivismo, segundo a perspectiva de Piaget: a necessidade de um processo de elaboração de ações e suas significações, buscando patamares de equilíbrio mais integradores. Ainda segundo a perspectiva piagetiana, a aprendizagem, necessariamente, se dá unida ao desenvolvimento cognitivo e será possibilitada com a ajuda do professor, que favorece que o pensamento do aluno siga seu caminho e converta-se em algo próprio. Ou seja, conforme a linha piagetiana, baseada na faixa etária de meus alunos: "embora a criança consiga raciocinar de forma coerente, tanto os esquemas conceituais como as ações executadas mentalmente se referem, nesta fase, a objetos e situações passíveis de serem manipuladas ou imaginadas de forma concreta". Como posso querer que meus alunos aflorem sua imaginação e criatividade se proponho temas totalmente adversos às suas necessidades e curiosidades?
Trabalhar com temas transversais não significa retirar as matérias curriculares do planejamento, mas de redimensioná-las, considerando como uma "realidade educativa" da escola, determinadas pelas necessidades educativas mais imediatas dos alunos e do ambiente sociocultural do qual eles provêm. Os temas abordados são, nesta ótica, o ponto de partida para as aprendizagens, encaixando-se nos Planos de Estudos como desencadeadores da aprendizagem com significado.
Baseada na teoria de Piaget - "...o processo de desenvolvimento cognitivo, afetivo e moral, ocorre à partir de uma postura ativa do sujeito em interação com o meio". - procurei inserir temas interessantes aos alunos (a história da máquina fotográfica e aula prática de fotografia, como por exemplo) e no meio destes conteúdos os alunos estavam aprendendo e fixando conteúdos obrigatórios, tais como: adjetivos, substantivos, convivência em sociedade, necessidade do próximo, o avanço da tecnologia, etc...
Fonte:
Texto: Epistemologia Genética e Construção do Conhecimento, de Tânia Beatriz Iwaszko Marques - proposto na interdisciplina Desevolvimento e Aprendizagem Sob o Enfoque da Psicologia.

Um comentário:

Simone disse...

Oi Suzan!! Muito legal que nessa postagem falas da tua proposta e trazes a leitura da obra de Piaget para te auxiliar a refletir sobre ela. Só uma provocação: ao final da postagem falas que "no meio destes conteúdos os alunos estavam aprendendo e fixando conteúdos obrigatórios", será que essa idéia de "fixar conteúdos" vai ao encontro da teoria piagetiana? Abração!!